Home / Setores de Negócios
Automotivo
Setores de Negócios Com 3,64 milhões de unidades produzidas e mercado em expansão, o Brasil foi o sexto maior produtor mundial de veículos em 2010, gerando 120.000 postos de trabalho. O setor vem mantendo forte dinamismo, com sucessivos recordes de venda, e tem amplo potencial de crescimento, fazendo do mercado brasileiro um dos mais atrativos em termos internacionais.
Nesse contexto, o Rio de Janeiro consolida e aprofunda a sua centralidade. O estado recebe atualmente alguns dos mais importantes investimentos do segmento, aumentando consistentemente sua capacidade instalada e seu nível produtivo. Com previsão de elevar a produção automotiva a 900 mil veículos por ano até 2020 e gerar, no período, mais 100 mil empregos, o Rio de Janeiro, atualmente o terceiro maior polo nacional do setor, caminha a passos largos para tornar-se o segundo, superando Minas Gerais e ficando atrás somente de São Paulo.
A MAN-Volkswagen, instalada em Resende, atingiu a marca de meio milhão de veículos produzidos em 15 anos de atividade, tornando-se a maior fabricante e exportadora nacional. Com a expansão da fábrica, em curso, um investimento de US$ 750 milhões, a produção dará mais um salto, passando de 80 mil para 200 mil unidades por ano.
A Peugeot-Citroen está investindo US$ 3,7 bilhões na ampliação de suas instalações em Porto Real, o que elevará a produção de veículos dos atuais 150.000 para 300.000 por ano, até 2015, e a de motores, hoje de 280 mil unidades/ano, a 600 mil, com potencial para atingir a marca de 800.000 anuais.
Já a Nissan começou, também em Resende, a construção de sua primeira planta no Brasil, que inclui uma unidade de fabricação de motores e ocupa uma área de 3,0 milhões de metros quadrados, dos quais 500 mil são destinados aos fornecedores consolidando nova e importante cadeia produtiva. Com investimentos de US$ 3 bilhões, a fábrica iniciará sua operação no primeiro semestre de 2014 e terá em sua fase inicial uma capacidade de produção anual de 200 mil veículos automotores, gerando 1.100 empregos diretos.
No setor, o Estado do Rio oferece uma série de incentivos, tais como o FUNDES, o apoio em definições logísticas e de locais de instalação, benefícios fiscais na importação de equipamentos e maquinário, apoio para obtenção de licenças ambientais e em negociações com municípios.