top of page

Número de indústrias interessadas em se instalar no RJ dobra no 1º bimestre


O número de indústrias interessadas em abrir ou ampliar seus negócios no Estado do Rio de Janeiro mais que dobrou no primeiro bimestre de 2024, em relação a 2023. De acordo com a Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin), o aumento de 125% no quantitativo de incentivos fiscais concedidos a empresas do setor industrial, nos dois primeiros meses do ano, representa um investimento de aproximadamente R$ 46 milhões em território fluminense, 13% a mais que no mesmo período do ano passado.


“A recuperação da credibilidade colocou o estado do Rio de Janeiro novamente na mira dos investidores nacionais e estrangeiros. Já havíamos encerrado 2023 com uma produção industrial bem acima da média nacional e não deixamos o ritmo cair, iniciando o ano com o setor aquecido em território fluminense. No primeiro bimestre tivemos mais de uma indústria por semana se movimentando para entrar ou expandir no estado”, destacou o governador Claudio Castro.


Segundo a CODIN, o quantitativo total de empregos a serem gerados pelas empresas que tiveram seus pleitos de inventivos fiscais analisados e aprovados pela Comissão Permanente de Políticas para o Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio de Janeiro (CPPDE), no primeiro bimestre, também aumentou, sendo 30% maior do que os obtidos em janeiro e fevereiro de 2023.


“O interesse do setor industrial no Rio de Janeiro deve continuar crescente, estimulado pela desburocratização da máquina pública e por uma “forte e responsável política de incentivos e segurança jurídica”, afirmou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços, Vinícius Farah.


Para o presidente da CODIN, Fábio Picanço, o avanço é fruto da transparência e do trabalho especializado realizado pela Companhia, em parceria com os demais órgãos estaduais e também com o legislativo. “Contamos com um quadro técnico altamente qualificado e estamos investindo ainda mais em capacitação e nos processos de análise. Além disso, não podemos esquecer das secretarias estaduais da Fazenda, a Casa Civil e a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, que, aliadas à CODIN, têm promovido um desempenho exemplar pelo desenvolvimento socioeconômico do estado, concluiu Picanço.


Nos dois primeiros meses do ano, as empresas da região Metropolitana do estado do Rio de Janeiro foram as que tiveram mais incentivos fiscais contemplados. Em relação às atividades dos empreendimentos que tiveram seus pleitos por incentivos deferidos no primeiro bimestre de 2024, a liderança ficou com o setor atacadista.

32 visualizações0 comentário

Comments


Notícia, Artigo ou Reportagem
bottom of page